Um trainee com foco no crescimento do jovem talento

18 Jul 2017 Autor: Juliana Maffia • Categoria: Empresas


Você já pensou em trabalhar no segmento agro? A Tereos Internacional, grupo com mais de 26 mil colaboradores, 42 unidades industriais, está com inscrições abertas para seu Programa Trainee!

Se você se identifica com este setor, está na hora de fazer parte do time que transforma cana-de-açúcar, cereais e tubérculos em açúcar, amido, etanol e álcool. Venha ajudar a organização a crescer, melhorar processos e ganhar cada vez mais espaço neste mercado.

A Tereos é a 3ª maior produtora de açúcar do mundo e convidamos Rui Carvalho, Gerente de DHO da Tereos, para te contar como é trabalhar numa empresa deste tamanho.

 

MyTrainee: Falando um pouco do programa de trainee, o que o futuro trainee Tereos pode esperar da organização?

Rui Carvalho: Hoje a Tereos é hoje considerada a terceira maior produtora mundial de açúcar, a primeira na Europa em açúcar e etanol e terceira produtora de amido no mercado europeu com 12 mil cooperados. A empresa processa matérias-primas agrícolas em 49 unidades industriais, em 16 países. Neste cenário, de crescimento sustentável, o trainee pode esperar por lidar com os diferentes desafios de nosso setor, oportunidade de atuar com foco na melhoria contínua e participar do processo de transformação da companhia. E para enfrentar este cenário buscamos talentos que tenham atitude, sejam engajados, tenham resiliência e saibam se adaptar as mudanças, além de estabelecer parcerias na busca pela excelência.

 

MyTrainee: Como será o desenvolvimento desse jovem talento dentro da empresa?

Rui Carvalho: O nosso foco é formar e desenvolver estes jovens trainees, apoiando no desenvolvimento de habilidades técnicas e comportamentais, ampliando sua visão do negócio e provendo desafios que acelerem o aprendizado e agreguem valor para organização, tudo isto para que no futuro eles estejam prontos para ocupar posições estratégicas na empresa.

A Tereos propõe um programa de desenvolvimento que é composto por uma integração com todas as áreas da companhia, job rotation nas áreas que possuem sinergia com sua atividade principal, treinamentos técnicos e comportamentais, coaching com a equipe de desenvolvimento humano, mentoring com os líderes selecionados na companhia, Projeto de Melhoria Contínua aplicado a sua área de trabalho, além de reuniões de acompanhamento durante todo programa.

 

MyTrainee: O trainee ficará alocado em uma das plantas brasileiras. Fale um pouco mais dos diferenciais de se trabalhar alocado em plantas no interior do País?

Rui Carvalho: Viver no interior fortalece as relações pessoais, o contato com a natureza, o que gera maior qualidade de vida, valorização das pessoas e proximidade entre os colaboradores, o que viabiliza o desenvolvimento pessoal e profissional.

 

MyTrainee: Qual o maior desafio que a organização enfrenta hoje e como a visão do trainee pode influenciar os próximos passos da Tereos?

Rui Carvalho: É notório o destaque que o agronegócio tem na economia brasileira. Estamos buscando jovens talentos que tenham interesse em expandir seus horizontes e se juntar a uma das líderes globais do setor sucroenergético. O maior desafio do setor é a situação do mercado do açúcar e etanol mundial, devido a variação dos preços destes produtos, pensando neste cenário o trainee pode influenciar na melhoria dos processos e otimização de recursos para continuarmos competitivos no mercado.

 

MyTrainee: Tereos é um grupo presente em 4 continentes do planeta. Como isso impacta na rotina do futuro trainee? Ele terá interação com os escritórios do grupo?

Rui Carvalho: Hoje dentro do grupo estamos construindo cada vez mais um canal de comunicação global e unificando processos. O trainee terá a oportunidade de vivenciar a realidade de uma empresa competitiva internacionalmente, com oportunidade de movimentação e crescimento, além do aprendizado e intercâmbio de conhecimento com os demais escritórios do grupo no Brasil e no mundo.

 

MyTrainee: Falando um pouco de sustentabilidade, a Tereos é uma empresa que tem como forte preocupação a Responsabilidade Social Corporativa. Conte para nós algumas das ações em que a organização está envolvida.

Rui Carvalho: A Tereos opta por uma agricultura sustentável, porque nossas atividades e sua perenidade dependem da terra, daqueles que a cultivam e de seu futuro. Para limitar o consumo de água nas nossas usinas, desenvolvemos soluções que valorizam ao máximo a água contida naturalmente nas plantas que processamos e a água de processamento, especialmente no processo para transformar a beterraba em açúcar.

No Brasil, o processamento da cana-de-açúcar permite produzir energia renovável graças ao bagaço, resíduo fibroso da cana. Tiramos proveito dessa particularidade para reduzirmos ao máximo nossa pegada ambiental. Afirmando assim seu compromisso em cada etapa da fabricação dos produtos: do campo ao consumidor.

Na planta da unidade de Olímpia contamos ainda com um projeto que promove educação a jovens em vulnerabilidade econômica e social das cidades da região, por meio de cursos ministrados através do voluntariado corporativo do qual os trainees da empresa podem participar ativamente.

 

MyTrainee: Pensando nos talentos que estão buscando uma posição no grupo, dê uma dica prática para que eles cheguem mais preparados para o processo.

Rui Carvalho: Uma dica para o trainee é avaliar se seus valores estão alinhados aos valores da companhia, que são: proximidade, abertura, compromisso de longo prazo, espírito empreendedor.

 

MyTrainee: Por fim, o que é imprescindível um candidato ter para ser um trainee Tereos? O que vocês buscam em um jovem talento?

Rui Carvalho: Valorizamos muito a pró-atividade, o protagonismo, as pessoas que tenham atitude para correr atrás do seu desenvolvimento e da busca pela excelência do processo, que estabeleça relações de parceria com todas as áreas, que possua espírito empreendedor, resiliência, que saiba lidar com as adversidades e enxergue os problemas como oportunidades, capacidade de análise, inovação, transformação, além do sentimento de ownership, que é a mentalidade de quem chama a responsabilidade para si e se ‘apropria’ dos projetos.