Setembro amarelo é o mês de conscientização da prevenção ao suicídio

10 Sep 2018 Autor: Juliana Bortoletto • Categoria: Prepare-se


A partir do mês de setembro começamos a colorir o calendário e dar atenção algumas causas importantes.  Outubro rosa, novembro azul e em setembro, a cor do mês é amarelo e desde 2014 essa campanha vem tendo notoriedade principalmente entre os jovens. Precisamos falar sobre suicídio.

Pelos dados da OMS (Organização Mundial da Saúde) o suicídio é terceira principal causa de morte entre os jovens de 15 a 29 anos. Em uma época de estresse crônico e síndromes de burnout, os jovens do nosso mundão estão sujeitos a situações que podem colocar em risco a sua auto-percepção e autoestima, fazendo com que eles acreditem que a única saída é acabar com tudo de uma vez.

Os números são alarmantes!

No Brasil, há um suicídio a cada 45 minutos e a média mundial é de um suicídio a cada 40 segundos. O único dado positivo é que 90% dos casos podem ser evitados.

O Setembro Amarelo visa conscientizar a população sobre o suicídio e suas causas. É o momento que temos para discutir esse assunto sem julgamentos, sermos solidários e olhar para o lado para aumentar nossa percepção sobre a ajuda que podemos oferecer pra quem está apresentando alguns sinais amarelos.

Como identificar que alguém precisa de ajuda? Se a pessoa….

  • Exibir mudanças extremas de humor.
  • Se sentir sozinho ou se isolar
  • Tiver transtornos mentais, depressão ou ansiedade
  • Demonstrar raiva ou agressividade.
  • Dormir muito pouco ou dormir demais.
  • Ter histórico de trauma ou abuso.
  • Aumentar o uso de álcool ou drogas.
  • Ter tentativa prévia
  • Ter histórico familiar de suicídio.
  • Se sentir um fardo para os outros.
  • Ter tendências impulsivas
  • Ter passado por perdas recentes

 

Saquei, mas como posso ajudar?

O mais correto é a busca por ajuda profissional, mas se você conhece alguém que apresenta esses sinais, aborde a pessoa da forma mais honesta possível e pergunte “como eu posso te ajudar?”. Hoje existem diversos fóruns, sites, grupos de apoio e médicos especializados que podem ajudar neste caso. Uma boa opção é ligar para o Centro de Valorização da Vida (CVV), ligando para o número 188, que se encontra disponível 24 horas por dia.

As pessoas enfrentam batalhas da qual não temos a menor noção. Não cabe a nós julgarmos ou dizer como enfrentá-las. Seja gentil. Faça o que puder!