Sascar no Trainees na Prática, com Patrick de César Francisco

27 Aug 2015 Autor: Juliana Sarafana • Categoria: Trainees na Prática


Entrevistamos Patrick de César Francisco, formado em engenharia eletrônica na UTFPR e atual Trainee da Sascar, para saber mais sobre o dia-a-dia da organização.

Ele nos contou sobre o dia a dia na empresa, como é trabalhar em um meio em constante expansão, além de dar dicas para quem está interessado em participar do processo seletivo.

As inscrições para o Programa de Trainee Sascar 2016 se encerram no dia 13/09. Não perca essa oportunidade! Para mais informações clique aqui.

Patrick

MyTrainee: Olá Patrick, comente sobre sua formação, experiências profissionais e por que resolveu se tornar trainee em uma grande empresa?

Patrick: Sou formado em engenharia eletrônica pela UTFPR, durante a graduação fiz um intercâmbio na Alemanha onde estudei no Instituto de tecnologia de Karlsruhe e estagiei na Texas Instruments. Voltando ao Brasil me formei e meu primeiro emprego foi como engenheiro na Sascar. Mais ou menos 6 meses após entrar na empresa me candidatei para o programa de Trainee. Dois motivos me fizeram querer participar do programa. O primeiro é o auto-conhecimento. Quando saímos da faculdade não conhecemos praticamente nada do mercado de trabalho e poder trabalhar em projetos em diferentes áreas é algo que me permitiu entender melhor quais eram meus pontos fortes e fracos. O segundo motivo é o aprendizado acelerado. Como é um ano intenso e há bastante autonomia, é preciso aprender muita coisa que não se ensina na faculdade para conseguir entregar o resultado.

 

MyTrainee: Conte um pouco sobre o negócio da Sascar e seu dia a dia na empresa.

Patrick: A Sascar é líder nacional em rastreamento de bens móveis com cerca de 230 mil veículos e 10 mil cargas rastreadas todo mês. Traduzindo para o bom português, temos soluções, geralmente baseadas em rastreadores, que garantem mais eficiência e segurança para frotas. Em eficiência, nossos produtos ajudam a reduzir o custo que nossos clientes têm com combustível, manutenção, além de permitir distinguir os melhores e piores motoristas. Em segurança, através de nossa tecnologia, auxiliamos a polícia a recuperar veículos e cargas roubadas em todo território nacional.

Atualmente sou o gerente de marketing de frotas pesadas e leves e o dia a dia pode ser resumido em um dos pilares da nossa cultura, ‘foco no cliente’. Nosso trabalho é entender profundamente nossos clientes e quais são seus problemas e com base nisso dizer para a empresa que soluções devemos criar/melhorar para que o cliente veja valor nas nossas ofertas, o que no fim das contas se reverte em mais vendas e fidelização.

 

MyTrainee: A inovação é uma paixão da Sascar. Quais são as inspirações para estar sempre inovando?

Patrick: Se você não trabalha em um monopólio estatal, inovação não é uma opção. Em um mercado competitivo para sobreviver é preciso se diferenciar e o nome que damos para a ferramenta que usamos para isso é inovação. Um dos fatores que nos motiva a continuar fazendo isso é o nosso modelo de gestão, que é baseado em metas. Uma boa meta deve dar um ‘frio na barriga’. Deve ter pelo menos 20% que nos tira da zona de conforto. A inovação o que usamos para fechar este gap. É um erro comum pensar que inovar é falar de um produto ou serviço novo, pois grande parte das inovações que fazemos são em processos internos que nos dão maior eficiência.

 

MyTrainee: A Sascar teve crescimento médio de 20% nos últimos anos. Como é trabalhar em uma empresa em constante crescimento?

Patrick: O dia a dia é muito dinâmico e há bastante autonomia para a tomada de decisão. Com o crescimento também vem muitas oportunidades de carreira e projetos interessantes. Por exemplo, desde que eu entrei a engenharia mais do que dobrou de tamanho, a área de TI quadruplicou, abrimos uma fábrica, compramos e integramos uma empresa, entramos em diversos segmentos novos (pessoa física, frotas leves, etc) isso tudo em três anos e meio.

 

MyTrainee: Como você se preparou para o processo seletivo da Sascar?

Patrick: Basicamente, de duas formas: estudei o negócio da empresa no detalhe (quem são os clientes, por que compram, etc) e fiquei ligado nas notícias, em especial naquelas que tinham com relação ao negócio da Sascar.

 

MyTrainee: Falando sobre aprendizado, como tem sido o acompanhamento e coaching durante o programa?

Patrick: Durante o programa eu tinha uma reunião com o diretor responsável a cada três meses. Porém, não se limitou a isso, durante este período havia feedback constante com alguns gerentes e também com outros diretores.

 

MyTrainee: Quais foram as oportunidades de crescimento na cia até o momento?

Patrick: Fiquei um ano na engenharia e depois um ano como trainee. Após o programa, assumi a coordenação de produtos onde fiquei por mais um ano e em janeiro de 2015 assumi a gerência de produto e engenharia, após isto,  houve mais uma mudança, na qual assumi a cadeira da gerência de marketing.

 

MyTrainee: A Sascar tem foco no aprendizado on-the-job, em que experiências corporativas reais contribuem para o desenvolvimento do Trainee. Compartilhe conosco uma experiência que tenha colaborado com a sua carreira.

Patrick: O primeiro trabalho do trainee foi um plano de 100 dias para a integração de uma empresa que tínhamos comprado. Eu, engenheiro eletrônico, que estava acostumado com desenvolvimento de hardware e software posso dizer que não sabia praticamente nada dos processos das outras áreas da empresa e neste projeto aprendi muito sobre áreas como contabilidade, fiscal, jurídico, cobrança e gente. Quando falamos de aprendizado on-the-job é isso. Não fiz nenhum curso sobre estas áreas, aprendi falando com as pessoas e durante o decorrer do projeto.

 

MyTrainee: Se você pudesse dar uma dica para os candidatos que estão participando deste processo, qual seria?

Patrick: Pesquise a fundo o negócio da empresa. Se sua área de formação não tem nada relação com tecnologia não tem o menor problema, como eu disse grande parte das inovações são em processos internos.  O Inglês é essencial, não dá para enrolar. Por fim, a melhor dica que posso dar é: seja autentico!